top of page

ABL encerra participação na FLIB com lançamentos e debate na mesa principal

‘A escrita negra na literatura brasileira: o caso de Lima Barreto’ foi o tema da última mesa de debates do 6º Festival Literário Internacional de Barreiras (Flib) no Centro Cultural Rivelino Silva de Carvalho, fechando a participação da Academia Barreirense de Letras (ABL) na programação externa da entidade no evento, que movimentou o Centro Histórico entre 23 e 25 de maio.

Participaram do debate, além do professor Arivaldo Sacramento, da Universidade Federal da Bahia (Ufba); os escritores e membros da academia, Théo Santos e Roberto de Sena, com mediação da escritora e também membro da ABL, Ananda Lima.


Pela manhã, os membros da ABL Antônio de Pádua (Uneb/Ifba) e Théo Santos (Ufob) já tinham participado no palco principal (Centro Cultural) da mesa ‘Literatura e as Questões Étnico-raciais no Oeste da Bahia’, com a participação de Carolina Reichert e Lucas Mendes.

A instituição somou 39 livros lançados durante o festival, com intensa programação na Casa da ABL. As obras, nos mais diversos gêneros e estilos, foram produzidas por membros da academia, bem como de escritores de diversas outras localidades.

“Se somarmos as coletâneas literárias e cientificas lançadas, tivemos mais de 100 autores só dentro da ABL. Tudo isso representa a potência literária dos nossos escritores”, afirmou o presidente da academia Valney Rigonato, pontuando que o Flib é uma realidade local e regional e já tem alcance internacional.


O último dia do Flib foi aberto no auditório da entidade com o lançamento de ‘Histórias Refinadas com glacê’ da escritora barreirense Fátima Ligouri, seguido de ‘A modernização conservadora da Agricultura nos Cerrados do Oeste da Bahia’, de Carlos Alberto Leitão Ferraz.



Na sequencia foi apresentada a obra ‘Legalidade Penal in the books e in action: uma nova teoria das fontes do Direito Penal Brasileiro’, de Marcos Vinícius Aguiar Faria. Para fechar a manhã do dia 25 de maio, teve apresentação do documentário sobre Intolerância Religiosa, de Max Bittencourt (Ufob).

A programação vespertina começou com o escritor Lucas de Matos, apresentando ‘Preto Ozado’, seguido de ‘Balsamos para a Existência’, da escritora Ananda Lima (ABL) e ‘A multiforme face da p4nd3m1a’, do escritor Anderson Vian.

A escritora Rita de Cássia Silva lançou ‘As contribuições das competências pedagógicas na elaboração do Plano de Gestão escolar’ e Ana Paula Anjos, ‘Relações étnico raciais: das políticas de ações afirmativas às contribuições de interculturalidade para formação docente’.


E, fechando o cronograma de lançamentos na sede da ABL, dois livros científicos reuniram autores e pesquisadores regionais. ‘Políticas Públicas Educacionais’ e ‘Educação e Mudança Social’ , ambos com Organização de Marilde Guedes, Nilza Martins, Atauan Soares de Queiroz e Cacilda Ferreira dos Reis. O evento foi abrilhantado pela presença da pesquisadora Terezinha Oliveira Santos (Ufob), que também colaborou desta produção literária.


Realizada pela Prefeitura de Barreiras, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo, a FLIB conta com uma curadoria composta pela Secretaria Municipal de Educação, Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFBA), Núcleo Territorial de Educação (NTE/11), Academia Barreirense de Letras (ABL) e Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB).


Confira mais registros abaixo:























61 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page